Cotidiano

Em Cima do Alambrado

Atualmente vivemos em um mundo repleto de intolerância. As pessoas cospem suas opiniões, muitas vezes em momentos impróprios e sem solicitações, ao bel prazer, e ainda esperam que tais palavras sejam absorvidas sem nenhum abalo emocional.

A partir do momento em que diferentes opiniões são disseminadas, grupos e subgrupos vão se formando por meio de afinidades e preferências em comum. Esses nichos de pessoas representam uma camada da população que compartilha das mesmas ideias e ideais, e uma vez inseridos nesses grupos, sentem-se parte integrante de algo, e sobretudo, sentem que seus valores, princípios e opiniões tornaram-se influentes e impactantes, tanto para seus colegas de grupo quanto para os rivais, que a utilizam como referência de como não se deve agir ou pensar.

A sociedade se encontra cada vez mais fragmentada e isso é fruto do labirinto de informações que recebe da mídia, e da dificuldade de organiza-las dentro de um padrão mais saudável e verossímil. Grande parte das informações que recebemos nos leva à escolha entre dois ou três extremos que se retroalimentam, mas não se complementam. Isso pode ocorrer na esfera política, social, religiosa, filosófica, entre muitas outras.

Algumas religiões orientais defendem a existência do Yin e Yang dentro de qualquer fenômeno ou aspecto que rodeia a vida e a sociedade. A noite não seria reconhecida como tal se não houvesse a referência do dia. A tranquilidade não seria apreciada da forma que é se não houvesse a referência da raiva, e assim sucessivamente. Aplicando ao conceito que estamos discutindo, a extrema esquerda política não seria tão amada ou questionada se não existisse o extremo oposto. Porém, nesse caso, trata-se de movimentos criados pelo próprio homem e não se enquadram em fenômenos universais ligados as leis da natureza e de Deus. Portanto, são falíveis.

Movimentos como o citado acima servem apenas para dividir a população e coloca-los um contra os outros, pois essa é uma forma mais estrategicamente segura de se governar. E pelo visto essa tática, utilizada desde o império romano e explanada por Maquiavel, tem dado certo, tendo em vista o engajamento da população em manifestações de ódio, intolerância e falta de indulgência perante aqueles que pensam e agem diferente de determinado grupo.

Não me coloco como contra ou a favor dos grupos político-sociais que se formam, até porque só estaria semeando mais ódio e conflito. Penso que todos tem o livre arbítrio de defender aquilo que acreditam ser o correto, mesmo que não percebam que sua postura é ligeiramente manipulada pelas ferramentas de controle da mente espalhadas nos diversos meios de comunicação. Por outro lado, também não me sinto como parte integrante de qualquer grupo. Procuro ouvir diferentes opiniões, pesquisar, refletir e elaborar minhas próprias concepções sobre assuntos de qualquer natureza. Essa é uma escolha individual de alguém que não está em cima do muro e ao mesmo tempo não está inserido em nenhum conjunto de ideias pré-concebidas. 

Em cima do alambrado seria forma mais correta de enquadrar esse modo de vida. Metaforicamente falando, quando se está em cima do muro, pra qualquer lado que a pessoa pular, irá se machucar. No alambrado a pessoa consegue escalar os dois lados e circular entre diferentes grupos aprendendo coisas valiosas e outras descartáveis e ir moldando sua visão de mundo embasada em seus próprios princípios e valores e na convivência pacífica com todos os extremos.

O conhecimento é a principal arma contra a escravidão da mente. Temos de nos informar, porém temos de saber a melhor forma de fazer isso e também impor um limite a nós mesmos para os produtos multimídia que consumimos. Muitas das rivalidades que existem hoje em dia são produto de alguém que realmente sabe o que está fazendo e calcula minuciosamente todos os resultados que esses conflitos podem lhe trazer. 

Lembrem-se sempre: Uma população solidificada na união é um perigo pra qualquer sistema vigente atual. Já a população brigando entre si é impossibilitada de enxergar a raiz de qualquer problema.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: